set.
11
2013

Grindr, uma ferramenta indispensável para viajar?
11 set. 2013
por misterb&b

Grindr, uma ferramenta indispensável para viajar?

Com 4 milhões de membros, Grindr é agora de longe a aplicação móvel gay mais descarregada. Após 3 anos de existência, e graças à sua tecnologia baseada na geolocalização, está presente em 99% dos países do mundo e acolhe uma média de 70.000 utilizadores conectados todos os dias. No total, 11 milhões de mensagens e 2 milhões de fotos são trocadas todos os dias.

Entrevistámos o chefe fundador da Grindr, Joel Simkhai, para tentar compreender o sucesso de uma aplicação que também mudou a nossa forma de viajar.

Como é que tiveste a ideia do Grindr?
Na altura, quando eu queria conhecer rapazes, tinha de ir a websites. Mas sempre me faltou alguma informação: ele está longe ou não? Estava a começar a incomodar-me seriamente. E depois, em 2009, chegou o iPhone de segunda geração e eu compreendi imediatamente o que podia fazer com esta tecnologia. Juntei uma pequena equipa e em Março de 2009, começámos a trabalhar no projecto.

Qual foi a ideia básica?
Muito simples: eu quero conhecer tipos que me são próximos. Isso é básico! Mas obviamente, não tínhamos ideia de que o nosso projecto teria tanto sucesso e assumiria um âmbito internacional.

GrindrComo são distribuídos os teus 4 milhões de membros?
Uma grande metade deles está nos Estados Unidos. Depois os nossos principais mercados são o Reino Unido, França, Austrália e Canadá. E quando olhas para as cidades, Londres é o nosso destino número um (350.000 utilizadores), depois é quase um empate entre Nova Iorque e Paris (200.000 membros).

Como explicas este sucesso em França?
Não faço a mínima ideia! No ano passado, vimos o número de membros disparar, mas não sabemos porquê. Por vezes, sabemos que um jornal, um twitter ou uma estação de rádio falou de nós, mas não há nenhuma pista. Além disso, nunca fazemos nenhuma campanha publicitária ou de marketing. As únicas coisas que fazemos são festas Grindr, como a que aconteceu em Freedj em Julho passado.

De acordo com os teus números, um membro liga-se em média 8 vezes por dia e permanece ligado durante 1,5 horas. Isso não te parece muito?
Na verdade, a nossa aplicação resolveu uma equação que todos os gays estão a tentar resolver: quem mais é gay à minha volta? O Grindr ajuda as pessoas a encontrarem-se, no ginásio, no escritório, na rua, no supermercado... E depois a própria aplicação é muito fácil de usar.

Existem membros Grindr em todo o mundo?
Estamos presentes em 192 países. Faltam-nos 2 países, Nauru e Tuvalu. Temos muitos membros na Coreia do Sul, por exemplo, mas acho que eles são mais soldados americanos do que locais. Mas temos membros no Zimbabué, Irão, Cuba, países que não são necessariamente muito amigos dos gays.

Exactamente como achas que o Grindr ajuda os gays nestes países onde eles têm de permanecer discretos, por vezes para a sua sobrevivência?
Eu não posso responder precisamente porque nunca estive nestes países. Mas eu sei que não há nada pior do que acreditar que estás sozinho no mundo. Isso é o que sentes muitas vezes, antes de saíres. E ver que não és o único gay, que há outros gays por perto, dá-te muita força. Sentes-te muito menos isolado.

Que saibas, a aplicação serve apenas como uma aplicação de encontros ou tem outros usos desenvolvidos pelos utilizadores?
É uma aplicação de encontros, não é só por uma noite. Os gays gostam de se conhecer, é assim que é, somos um pouco como irmãos, queremos viver juntos, queremos ir de férias juntos, queremos fazer novos amigos a toda a hora. Então o Grindr também é usado para isso, para conhecer novos amigos.

E também é muito útil quando se viaja, não é?
É uma ferramenta essencial para viajar! Se eu for de férias para algum lugar que não conheço, a quem vou pedir conselhos sobre para onde ir? Idealmente, devias perguntar a um homossexual local. E onde estão os gays locais? Em Grindr! Então é disso que se trata Grindr, informação em tempo real sobre notícias gays, dos locais! Quando viajas, os melhores momentos são aqueles que passas longe dos trilhos turísticos habituais. Para conheceres estes lugares, precisas de entrar em contacto com as pessoas no local e é isso que Grindr te permite fazer.

Grindr map
Um instantâneo dos membros conectados do Grindr

Foi por isso que criaste os Grindr Travel Awards?
Sim, era lógico! Queríamos destacar as cidades mais gays, aquelas que atraem gays, com as quais sonhas quando pensas nas tuas próximas férias: Nova Iorque, Miami, Rio de Janeiro, Sydney.... Também estou feliz porque Tel Aviv, a minha cidade natal, foi eleita a cidade mais sexy para os rapazes!

Tel Aviv é um destino especial para ti?
Na minha opinião, é a melhor praia gay do mundo! Há dez anos atrás não havia muito para fazer lá. Mas agora mudou tanto! As pessoas de lá são tão abertas que adoram estrangeiros, turistas. Temos quase 10.000 utilizadores em Tel Aviv.

Como explicas o facto de ainda seres o número 1 no teu mercado 3 anos após o teu lançamento?
O tamanho da rede é a chave para o sucesso. Se a promessa é que vais encontrar rapazes perto de ti, não podes ter o primeiro rapaz a 30 quilómetros de distância. Por isso tens de ter muitos membros. Essa é a nossa força, somos a maior rede e a mais internacional.

Existe uma peça chamada "Confissões de um acrro no Grinder". Achas que é possível ser viciado no Grindr?
Mas eu sou! Mudou a minha vida. Estou sempre ligado. Sempre que vou a algum lado, mas também quando estou sozinho em casa. Eu passo muito tempo no Grindr, e isso é bom, permite-me socializar.

Algumas pessoas reprovam-te por teres criado uma ferramenta que permite que as pessoas deixem de ir aos bares buscar raparigas e, portanto, de participar no desaparecimento de estabelecimentos gay?
Eu não concordo nada com isso. Primeiro que tudo, ir a um bar gay pode não ser a melhor forma de conhecer outros gays, mas essa é apenas a minha opinião pessoal. Acima de tudo, acho esta crítica injusta porque, por natureza, o Grindr obriga-te a estar onde há outros gays. Grindr é uma aplicação móvel! Por isso sai, mexe-te, vai para onde os outros gays estão, não fiques em casa!

grindr  new features
Capturas de ecrã das novas funcionalidades do Grindr © Grindr

Quando é que sai uma nova versão?
Muito em breve. Nós redesenhámos tudo tecnicamente, do zero, por isso o novo Grindr vai ser muito mais rápido. Adicionámos novas funcionalidades. Por exemplo, criámos grupos (ursos, jovens, musculados, etc.), o que me permitirá procurar tipos que estejam próximos dos meus gostos e fisicamente próximos de mim. Também adicionámos novos filtros, tais como etnia e tipo de corpo.

Quantos membros esperas ter até ao final do ano?
Temos 10,000 novos membros por dia, 300,000 por mês. Devemos chegar aos 5 milhões até Dezembro.

Weere, seu companheiro de aventura por misterb&b

Weere é a mais nova característica do misterb&b conectando a comunidade global LGBTQ+. Pesquise locais e visitantes LGBTQ+, e conecte-se para explorar juntos. Encontre um companheiro do outro lado da rua ou do outro lado do mundo com quem possa compartilhar a aventura. Junte-se e tenha a opção de publicar sua viagem para uma comunidade de mais de 900.000 pessoas. Cadastre-se gratuitamente ou faça o login com sua conta misterb&b..

Manter em contato
Instagram Facebook Twitter

Qualquer que seja o destino da sua viagem, não se esqueça de nos adicionar no Instagram, Facebook e Twitter e de partilhar as suas fotos de viagem através do hashtag #ExperienceYourPride. Nós iremos partilhar as melhores imagens com a nossa comunidade global de viagens LGBT! Descreva a sua experiência como anfitrião ou ofereça Dicas Locais sobre o que fazer na sua cidade, e crie um vídeo para promover o seu anúncio. Interessado? Envie um email para stories@misterbandb.com e nós entraremos em contato consigo.

Propaganda
Fique gay em...
-
Propaganda